Tocantins inaugura em Paraíso sua segunda usina de biodiesel



Somando vantagens nas áreas de inclusao social, de custo de producao e de preservacao ambiental – além de ser um produto com mercado consumidor em crescimento no Brasil e no exterior -, o biodiesel acaba de se firmar como uma via para a consolidacao economica do Tocantins. Nesta segunda-feira, 12, o Estado ganhou sua segunda usina de producao do biocombustível, a Biotins Energia, inaugurada em grande solenidade, com a presenca do governador Marcelo Miranda (PMDB), de secretários de Estado, parlamentares, empresários e diversos prefeitos da regiao de Paraíso, município sede do empreendimento.

Na solenidade, o governador acionou o primeiro módulo de producao, que tem capacidade para fabricar 8 milhoes de litros de biodiesel ao ano, o que corresponde a mil litros/dia. Para abastece-lo, cerca de 400 famílias de pequenos produtores rurais estao trabalhando, cultivando pinhao-manso, em Paraíso e em outros sete municípios de seu entorno. A área plantada já chega a 4,5 mil hectares.

Expansao
Para os próximos cinco anos, a projecao de área plantada é de 50 mil hectares, necessária para abastecer os demais quatro módulos que serao instalados, utilizando a mesma tecnologia austríaca deste primeiro. Entao, o grupo Global Agroenergy, proprietário da Biotins S/A, partirá para uma nova fase, dando início á construcao de duas outras usinas, nos municípios de Araguaína e Alvorada.

«Nossa expansao depende unicamente da oferta de matéria-prima (pinhao manso). A gente nao quer comprar de fora ou ficar dependente do mercado interno. Queremos ajudar a formar uma cadeia produtiva», afirmou o presidente da empresa, Eduardo Bundyra.

O governo do Tocantins é parceiro da iniciativa, nao apenas oferecendo assistencia técnica aos agricultores familiares, mas colaborando com a instalacao da usina, através do programa de incentivo fiscal Proindústria.

Ao comentar a parceria com o grupo de empresários, o governador lembrou do grande alcance social da nova indústria de biodiesel. «O mais importante é que estamos valorizando o homem do campo, alcancando nossa meta, que é gerar emprego e renda», disse. Ele lembrou ainda da variedade de matéria-prima do Tocantins para os biocombustíveis, seja com a mamona, babacu, girassol, soja e pinhao manso (biodiesel), seja com a cana-de-acúcar ou a batata-doce (etanol).

Preservacao
O secretário da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Roberto Saihum, destacou que o Estado trabalha com planejamento para produzir biodiesel e etanol sem desmatar novas áreas ou desvirtuar aquelas que hoje sao destinadas ao cultivo de alimentos. A matéria-prima dos biocombustíveis será plantada nos 5 milhoes de hectares de pastagens degradadas que o Estado possui. «Nao vamos abrir um palmo de terra e sim plantar nas áreas já desmatadas», disse Saihum.

A primeira usina de biodiesel do Estado, a Brasil Ecodiesel (que utiliza a mamona como matéria-prima), foi inaugurada também este ano, em maio, pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e pelo governador Marcelo Miranda.

Fonte: www.noticas.to.com.br

Be the first to comment

Leave a Reply

Tu dirección de correo no será publicada.


*